1993

O Manifesto Viva Rio

Indignados com o alto índice de violência que o Rio de Janeiro sofre no início dos anos 90, os fundadores do Movimento Viva Rio publicam um manifesto convocando a população carioca para dois minutos de silêncio pela paz.

Comissão de cidadãos

Cariocas de diversas profissões e origens se reúnem para debater a violência na cidade do Rio de Janeiro. O objetivo é formular propostas para a redução da violência baseadas em pesquisas e com a participação da sociedade civil. O grupo se reúne durante 10 dias no mês de dezembro para tentar responder perguntas como “O que pode ser feito no curto e no médio prazo para reduzir a violência?” e “Como nós podemos ajudar?”

Dois minutos pela paz

Ao fazer a cidade parar por dois minutos para pedir paz, o Viva Rio promovia seu primeiro grande ato público e se consolidava como um movimento social relevante e ativo no debate sobre o Rio de Janeiro.

Orações pelo Rio

Grupos religiosos se espalham pelo Rio em orações. As religiões orientais e exotéricas se reúnem no Aterro do Flamengo; os leigos católicos rezam na Praça São Sebastião, na Glória; o cardeal do Rio, Eugenio Sales, abençoa a cidade do alto do Corcovado; a Umbanda pede pela paz na Praia do Flamengo; os evangélicos oram em culto realizado na Cinelândia; e o Museu de Arte Moderna (MAM) recebe em seu espaço grupos religiosos espíritas, judeus e do Candomblé.

Conselho Fundador

Alguns cariocas que participaram da comissão de cidadãos para discutir questões relacionadas à violência se unem para formar o conselho fundador do Viva Rio. O objetivo inicial é apoiar o movimento na busca de respostas para a pergunta que ainda inquieta a sociedade: “O que podemos fazer para diminuir a violência na cidade do Rio de Janeiro?”

1994

Voluntariado

O Viva Rio se consolida no cenário carioca tendo apenas uma funcionária, e trabalhando em meio período. Isso só é possível graças à atuação do quadro crescente do Voluntariado. Ações, campanhas e projetos são executados pelos voluntários que integram o Movimento.

Naviata

A ameaça de desemprego para 8 mil dos 12.500 metalúrgicos que trabalham nos estaleiros do Rio de Janeiro se transforma em um grande ato na Baía de Guanabara em defesa da indústria naval. A campanha "Estamos todos no mesmo barco, mais emprego e menos violência!", organizada pelo Movimento Viva Rio com o apoio de empresários, políticos e sindicatos, leva navios, barcaças, veleiros, pesqueiros e caiaques para o mar em protesto contra os cortes propostos pelo Governo Federal no Fundo de Marinha Mercante.

Policiamento comunitário em Copacabana

O Viva Rio abraça em conjunto com o comando da PMERJ o programa de "Policiamento Comunitário" proposto como um projeto piloto pelo Cel. Nazaré Cerqueira para diminuir os índices de violência em Copacabana. A iniciativa acontece em toda a extensão do bairro e conta com grande participação da população.

Rio Desarme-se

Em resposta à "Operação Rio", uma ação de ocupação das ruas e morros do Rio de Janeiro pelas Forças Armadas, o Viva Rio lança sua primeira campanha de coleta de armas de fogo. Denominada "Rio Desarme-se", ela busca despertar a consciência de que a redução da violência passa pelo desarmamento da população.

1995

Viva Rio de cara nova

O ano começa com a apresentação da nova logo do Viva Rio. Em uma reunião com cerca de 80 empresários no Museu da República, a instituição aproveita para estimular a população carioca a se organizar e mobilizar com ações práticas em busca da recuperação da cidadania.

Rio Limpo

Em parceria com o "Loucos Varridos", movimento criado para conscientizar a população sobre a limpeza do Rio de Janeiro e liderado pela atriz Sônia Braga, o Viva Rio mobiliza voluntários para limpar as ruas da cidade. As ações acontecem no Arpoador, na Praia de Ramos, na Floresta da Tijuca e até na encosta do Pão de Açúcar.

Comunidade Solidária

O Viva Rio passa a integrar o Conselho Consultivo do "Comunidade Solidária", programa do Governo Federal criado pela primeira dama Ruth Cardoso cujo objetivo é mobilizar pessoas e recursos para o desenvolvimento social.

Reage Rio

O Viva Rio organiza, em protesto contra o alto índice de violência e os sequestros que aterrorizam a população carioca, uma imensa manifestação com o slogan "Um Milhão pela Paz". A caminhada, da Candelária à Cinelândia, tem como objetivo chamar a atenção dos governantes para a falta de investimentos em segurança pública no Estado.

1996

Rio das Flores - desastre e construção

Às vésperas do carnaval, fortes enchentes deixam dez mil pessoas desabrigadas no Rio de Janeiro, a maioria em Jacarepaguá. O Viva Rio cria uma campanha para arrecadar contribuições e prestar assistência emergencial às vítimas com o apoio da população carioca, da cadeia de lojas C&A e da Secretaria de Habitação da Prefeitura do Rio. Foram construídas 248 casas em regime de semi-mutirão, que incluiu a participação de profissionais remunerados, e os projetos habitacionais de Rio das Flores e Rio Novo foram selecionados pelo Habitat da ONU como uma das cem melhores iniciativas do mundo em habitação.

Viva Cred

O Viva Rio lança o Viva Cred, programa pioneiro de acesso a crédito para microempreendedores em favelas e comunidades de baixa renda do Rio de Janeiro. Com assessoria técnica da Internationale Projekt Consult (IPC) - consultoria de microcrédito alemã - e apoios do banco comercial Fininvest, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Viva Cred torna-se uma referência no ramo.

Balcão de Direitos

Reuniões com lideranças comunitárias apontam a dificuldade em lutar por justiça causada pelo desconhecimento dos moradores de comunidades acerca dos seus direitos e do que é efetivamente lei no país. Mesclando conhecimento acadêmico e vivência local, o Balcão de Direitos promove espaços comunitários de mediação e a democratização do conhecimento sobre lei e direitos nas favelas. Participam do projeto advogados, estudantes de direito e agentes de cidadania. O Balcão foi adotado pelo Ministério da Justiça, que o multiplicou em 14 estados da Federação.

1997

Telecurso Comunidades

Com foco na juventude que abandona a escola na adolescência, o Viva Rio cria o programa de aceleração escolar do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, baseado em metodologias desenvolvidas pela Fundação Roberto Marinho e certificadas pela Secretaria de Educação. O currículo oferecido aos alunos é orientado para a cidadania e o trabalho, e contribui para a difusão de programas de aceleração educacional no país.

Rio 2004

O Viva Rio promove diversos eventos na favela da Maré e em Copacabana de olho na disputa para cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2004. Como legado da campanha surge a Vila Olímpica da Maré, complexo esportivo que atende milhares de crianças, jovens e adultos com equipamentos de qualidade e monitoria. Atenas, capital da Grécia, foi a cidade-sede escolhida pelo Comitê Olímpico Internacional.

Jardineiros do Bairro

Programa de educação ambiental e capacitação de jovens em jardinagem utilizando os canteiros dos bairros - jardins públicos e particulares - como lugar de prática e aprendizado. Além da geração de emprego, a formação em jardinagem promove a integração entre o jovem e a área onde mora, estimulando o sentimento de cidadania. O projeto conta com apoio da Fundação Parques e Jardins, da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana) e de diversas empresas.

1998

Esporte Comunitário

Entre 1998 e 1999 o Viva Rio desenvolve o primeiro de uma série de trabalhos baseados no conceito de esporte para a cidadania. Professores de educação física trabalham junto com moradores de comunidades, que desempenham o papel de agentes comunitários do esporte atendendo mais de 5 mil crianças entre 7 e 17 anos. O programa é patrocinado pela Secretaria Municipal de Habitação, apoiado pela Ipiranga e executado pelo Viva Rio, e acontece em sete comunidades atendidas pelo programa Favela Bairro da Prefeitura do Rio.

Doação de Sangue

Primeira das muitas campanhas que o Viva Rio faria em prol da doação de sangue. Jovens alunos do "Serviço Civil Voluntário" se reúnem e organizam uma doação conjunta ao hemocentro do Rio de Janeiro (HemoRio).

Serviço Civil Voluntário

Um rito de passagem à vida adulta cidadã para os jovens que não entraram no Serviço Militar. Parceria com o Ministério da Justiça e outros órgãos do Governo Federal, o projeto integra educação, cidadania e trabalho voluntário utilizando metodologias como a do Telecurso Comunidades. Tornou-se política pública com a sua inclusão no Programa Nacional de Direitos Humanos.

Paz para a Cidade (Peace to the City)

O Viva Rio passa a integrar o "Paz para a Cidade", rede de ações pela redução da violência urbana coordenada pelo Conselho Mundial de Igrejas. Os principais polos ficam no Rio de Janeiro, Boston (EUA), Dublin (Irlanda), Sarajevo (Bósnia e Herzegovina) e Durban (África do Sul).

Fundação IANSA

O Viva Rio torna-se um dos fundadores da Rede Internacional sobre Armas Pequenas e Leves (International Action Network for Small Arms - IANSA) com o objetivo de fortalecer os processos para controle de armas no mundo. A atuação da IANSA dá acesso aos debates na ONU e aumenta o intercâmbio de informações qualificadas. Para o Viva Rio a rede representa um avanço importante nos esforços pelo controle do uso de armas de fogo.

Clube de Informática

O Viva Rio inaugura sua primeira ação pela inclusão digital em parceria com instituições locais e empresas privadas. Salas instaladas em associações comunitárias oferecem aos jovens serviços de impressão e cursos de capacitação em Sistema Operacional Windows e Pacote Office.

1999

Informatização da Divisão de Fiscalização de Armas e Explosivos (DFAE)

Entre 1999 e 2001, o Viva Rio é responsável pelo processo de informatização e digitação de mais de 700 mil registros de armas legais em circulação no Estado do Rio, e de mais de 250 mil registros de armas apreendidas pela polícia em situações irregulares. Em parceria com a Polícia Civil, o Viva Rio monta uma base de dados com cerca de um milhão de registros, tornando-se uma fonte fundamental para as campanhas pelo controle de armas de fogo no país.

Rio, abaixe essa arma!

O Viva Rio lança sua primeira campanha pelo desarmamento. A atuação se deu em duas frentes: coleta de armas, com o apoio de igrejas evangélicas; e coleta de assinaturas pela aprovação de um projeto de lei do Ministério da Justiça em prol da restrição do comércio de armas leves no Brasil. Mais de 1,2 milhão de assinaturas foram enviadas à Brasília.

Jogos da Paz

O Viva Rio, em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, promove um torneio esportivo que reúne jovens de comunidades pobres e policiais militares. Com 40 mil participantes, os Jogos da Paz celebram a convivência pacífica e acontecem nos Batalhões da PMERJ coordenados por uma equipe de professores de educação física. O projeto acontece com apoio da UNESCO, Instituto Ayrton Senna, Coca-Cola, Instituto Unibanco e Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça.

2000

Abraços à Lagoa e à praia de Ramos

Duas grandes mobilizações do Viva Rio contra a poluição nas praias, rios, lagoas e baías do Estado do Rio de Janeiro. De um lado da cidade, o abraço à Lagoa Rodrigo de Freitas junta 70 mil pessoas; do outro, no subúrbio do Rio, 80 mil se reúnem na praia de Ramos. O esforço dá resultado: a Prefeitura implementa medidas de ajuste ambiental na Lagoa e o Governo do Estado cria o Parque Ambiental da Praia de Ramos com a construção do famoso "Piscinão de Ramos".

Luta pela Paz

O projeto "Luta pela Paz" nasce para romper barreiras sociais, ajudar a superar a violência e promover o potencial dos jovens por meio do boxe, programas de educação e serviços de apoio juvenil. Com o apoio da Laureus Sport for Good Foundation, o programa projeta-se em escala internacional iniciando uma frente de ações em um bairro pobre de Londres. O "Luta pela Paz" constitui-se como organização não governamental independente em 2008.

Basta! Eu quero paz!

Em resposta ao sequestro do ônibus 174 no Jardim Botânico, episódio transmitido ao vivo pela televisão e que resultou na morte de uma moradora da Rocinha e do sequestrador, um sobrevivente da chacina da Candelária, o Viva Rio organiza a campanha nacional "Basta! Eu quero Paz!" em parceria com outras organizações civis de vários estados. As pessoas são convocadas a acender uma vela e colocá-la na janela às 19h do dia 7 de julho de 2000 em sinal de protesto. O gesto se alastra pelo país com enorme repercussão. O Viva Rio também organiza a criação de um mural de 143 metros de extensão com fotografias de vítimas da violência no Rio. Pessoas vão ao local para orar, acender velas e conversar com parentes das vítimas.

Comércio Solidário

O Viva Rio lança o "Viva Rio Fair Trade Brasil", um selo de comércio justo para produtos nacionais com apoio de crédito, capacitação e negociação de melhores preços. O principal objetivo é facilitar o acesso dos microempreendedores de baixa renda ao mercado formal. Para obter o selo é necessário comprometimento com a sustentabilidade ambiental e com o desenvolvimento da própria comunidade.

Jogos da Esperança

Organizados pelo Viva Rio em parceria com o projeto Criança Esperança da Rede Globo, os Jogos da Esperança reúnem cerca de 200 mil crianças e adolescentes entre 8 e 14 anos promovendo cidadania, paz e integração de jovens por meio do esporte. O campeonato acontece em todo o país nas regiões cobertas pelas 113 afiliadas da Rede Globo.

Villa-Lobinhos

Um projeto de educação musical para jovens talentos de famílias pobres entre 12 e 20 anos. A Orquestra Villa-Lobinhos, dedicada a um repertório de músicas brasileiras, surge como uma consequência desse trabalho educacional. Com apoio do Instituto Moreira Salles e do Museu Villa-Lobos. O Villa-Lobinhos torna-se um projeto independente ao final de 2008.

GPAE

Diante de um cenário onde as forças de ordem pública se mantêm distantes da sociedade civil e interagem quase sempre pela repressão, o Viva Rio e o Cel. Carlos Magno Nazareth Cerqueira (Comandante Geral da PMERJ) se mobilizam para implementar o primeiro "Grupamento de Policiamento de Áreas Especiais" nas comunidades do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho. A experiência é baseada no modelo de polícia comunitária, priorizando ações de prevenção como forma de evitar a violência, o enfrentamento e o uso de armas na comunidade. A ordem é tolerância zero em relação à corrupção e à violência policial.

2001

Espaço Criança Esperança - Cantagalo

O Espaço Criança Esperança é inaugurado na favela do Cantagalo sob a coordenação do Viva Rio. Presentes em várias cidades brasileiras, os Espaços Criança Esperança são centros de atenção em tempo integral com atividades complementares à escola para milhares de crianças, adolescentes e jovens. O projeto é uma iniciativa da Rede Globo de Televisão em parceria com a UNICEF e a UNESCO.

Arma não! Ela ou Eu!

No Dia das Mães, um grupo heterogêneo de mulheres atrai a atenção da mídia vestindo uma camisa com os dizeres "Arma não! Ela ou Eu!". A campanha em prol do desarmamento reúne atrizes, publicitárias, jornalistas, escritoras, pesquisadoras e vítimas da violência para promover uma reflexão sobre os perigos da arma de fogo e aumentar a pressão popular a favor do controle sobre as armas.

Destruição de 100 mil armas de fogo

O Viva Rio promove, no Aterro do Flamengo, a maior destruição simultânea de armas pequenas já realizada no mundo. 100 mil armas de fogo são destruídas e as imagens rodam o mundo todo com grande repercussão na ONU. A ação faz parte da Campanha “Rio sem armas”, que conta com apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e do Exército Brasileiro para eliminar as armas apreendidas pela polícia e evitar o seu retorno ao mercado ilícito.

Viva Favela

Em um contexto onde as favelas aparecem na mídia apenas como espaço de violência e mazelas, o Viva Rio elabora um projeto de mídia alternativa que retrata a realidade das comunidades a partir do ponto de vista de seus moradores. O Viva Favela (www.vivafavela.com.br) é um portal eletrônico alimentado por uma equipe de jornalistas e "correspondentes comunitários", que são moradores de favelas capacitados para atuar como repórteres e fotógrafos. O projeto permite a apropriação dos meios de produção e circulação de informação e a difusão dessas notícias tanto na própria favela quanto fora dela.

Estação Futuro

O Viva Rio instala, em favelas e comunidades de baixa renda, centros com acesso gratuito à internet que oferecem cursos de informática e formação profissional. O projeto, pioneiro em acessibilidade tecnológica, é reconhecido pela International Association of Wireless Communication como a melhor iniciativa no mundo na área de comunicação sem fio para comunidades de baixa renda. As Estações Futuro também funcionam como base logística para outros projetos como Viva Cred, Comércio Solidário e serviços de apoio para a busca de emprego. O programa acontece em parceria com Instituto Unibanco, Castrol, Brascon, Gestetner e Cisco.

Rock In Rio por um Mundo Melhor

O Viva Rio leva a dimensão social para o "Rock in Rio III". Parte dos recursos arrecadados no evento é destinada para salas de aula do "Telecurso Comunidade", que oferece formação em ensino fundamental e médio para jovens e adultos moradores de favelas. São abertas 70 salas de aula atendendo mais de dois mil alunos. Durante o festival acontece ainda a pesquisa "Votos por um Mundo Melhor", com apoio do Voluntariado do Viva Rio e o tema "O que você faria por um mundo melhor?"

Zeladores da Cidadania

Semelhante ao Serviço Civil Voluntário e desenvolvido em parceria com o Ministério da Justiça, o "Zeladores da Cidadania" forma jovens por meio de inclusão digital e trabalho social usando a metodologia do Telecurso. Como formação complementar os alunos recebem aulas de Direitos Humanos e "Zeladoria Comunitária", onde são orientados a cuidar do meio ambiente e dos espaços e bens públicos, a atuar em campanhas e pesquisas e a orientar e incentivar pessoas a exercer a cidadania.

Viva Madrinha

O Viva Rio cria o projeto Viva Madrinha em parceria com a Central de Oportunidades. Os “padrinhos” e “madrinhas” são voluntários que contribuem financeiramente, por um período mínimo de um ano, para o sustento de crianças em creches comunitárias. O projeto empreende ainda um trabalho socioeducativo junto às famílias das crianças apadrinhadas, trabalhando pela permanência na creche e a qualidade da convivência social e familiar. Os doadores recebem relatórios financeiros e sociais periodicamente informando-os sobre a utilização dos recursos e as ações promovidas pelo projeto.

2002

Parque Ambiental da Praia de Ramos

A convite da Secretaria de Meio Ambiente do Rio de Janeiro o Viva Rio torna-se gestor do Parque Ambiental da Praia de Ramos, que abrange a área da praia, o "piscinão" e as favelas de Ramos e Roquete Pinto. O Viva Rio instala no local um balcão de assistência jurídica, uma Estação Futuro e um centro de ação social que oferece cursos de formação em agenciamento ambiental e jardinagem para os jovens.

Comigo não tem mosquito

Após uma epidemia de dengue atingir mais de 30 mil pessoas no estado do Rio de Janeiro durante o verão, o Viva Rio promove uma campanha mobilizando cerca de 1.500 voluntários capacitados por técnicos da Funasa para espalhar informação, visitar residências em comunidades de baixa renda e realizar mutirões para eliminação de focos do Aedes Aegypti.

Aldeia Sagrada

O Aldeia Sagrada surge com o objetivo de comunicar os princípios e valores universais das tradições espirituais através da convivência inter-religiosa. Entre palestras, cerimônias religiosas, performances artísticas e música sacra, mais de 20 tradições religiosas expõem sua tradição, sua sabedoria espiritual e seu trabalho para a construção de uma cultura de paz. Edições anuais acontecem até 2006.

Curso de Aprimoramento da Prática Policial Cidadã (CAPPC)

Fruto de parceria entre a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) e o Viva Rio, o curso promove a qualificação continuada do efetivo visando à humanização do serviço policial militar. Essa parceria permanece até hoje.

Rádio Viva Rio

O Viva Rio lança sua rádio na tentativa de contribuir para o desenvolvimento das rádios comunitárias e para a democratização da comunicação no país. O conteúdo, veiculado 24h por dia durante 2 anos e meio no dial 1180 AM, privilegia o dia a dia das favelas e suas manifestações culturais. O sucesso da Rádio Viva Rio resulta na criação da Rede de Rádios Comunitárias, composta por 500 rádios que produzem e distribuem conteúdo além de promoverem cursos de capacitação para comunicadores de todo o país. Atualmente a rádio pode ser escutada no site do Viva Rio: http://vivario.org.br/radio-viva-rio/.

Site Desarme

Criado em parceria com a ONG argentina Espacios, o site desarme.org estimula o debate sobre o controle de armas publicando notícias, pesquisas, leis e matérias sobre desarmamento, direitos humanos e promoção da paz em português e espanhol. Com o passar do tempo seu conteúdo é incorporado ao portal Comunidade Segura, que tem como foco a segurança pública do Brasil e de outros países da América Latina.

Oeste Verde

O Viva Rio cria o projeto Oeste Verde com o intuito de colaborar na recuperação do meio ambiente na Zona Oeste do Rio de Janeiro e ao mesmo tempo desenvolver atividades de educação ambiental com as comunidades locais. As mudas produzidas no viveiro são destinadas ao reflorestamento de áreas ambientais degradadas.

Destruição de 10 mil armas de fogo

O Viva Rio, em parceria com o Governo do Estado e as Forças Armadas, dá continuidade à campanha de destruição das armas apreendidas pela polícia iniciada em 2001. Em 2002 são destruídas 10.000 armas de fogo no Palácio Guanabara, sede do Governo do Rio, e o ato aproveita a proximidade com o Dia Internacional do Desarmamento, instituído pela ONU, para buscar o apoio de países estrangeiros na repressão ao comércio ilegal de armamentos.

2003

Maré do Saber

O Viva Rio cria o Maré de Saber para ajudar a diminuir a defasagem escolar de jovens e adultos na Maré. Com dez salas de Ensino Fundamental instaladas na comunidade, o projeto beneficia mais de 300 jovens e utiliza uma variação da metodologia de aceleração escolar do Telecurso. O Maré de Saber conta com apoio do Instituto Unibanco, Firjan e Fundação Roberto Marinho.

Projeto COAV

O Viva Rio integra o projeto COAV ("Children in Organised Armed Violence" ou "Crianças e Jovens em Violência Armada Organizada"), que tem como objetivo identificar a existência de crianças e jovens envolvidos em grupos armados, produzir e divulgar informações, conscientizar a comunidade internacional e formular soluções para o problema.

Gingando pela Paz

Criado no Brasil em 2003 e levado para o Haiti em 2007, o Gingando pela Paz tem na abordagem pedagógica o seu maior diferencial. Os alunos recebem lições sobre mediação de conflitos, informática e língua portuguesa além das aulas de capoeira. O projeto é desenvolvido pelo Viva Rio em parceria com o Acervo Cultural de Capoeira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Caminhada Brasil sem Armas

Cerca de 50 mil pessoas lotam a orla de Copacabana manifestando apoio à aprovação do Estatuto do Desarmamento. Atores do elenco da novela Mulheres Apaixonadas, da Rede Globo de Televisão, gravam cenas durante a passeata declarando sua adesão à manifestação pelo desarmamento. A mobilização conta com a presença de empresários, artistas, trabalhadores e autoridades dos governos federal, estadual e municipal.

2004

Campanha de entrega de armas

Em cumprimento ao Estatuto do Desarmamento, o Ministério da Justiça organiza uma campanha de entrega voluntária de armas com o apoio de ONGs. A meta inicial de recolher 80 mil armas de fogo é rapidamente batida, e cerca de 500 mil armas são entregues para destruição. O Viva Rio atua intensamente no processo, recebendo armas para danificação em sua sede e prestando assistência para 45 igrejas que também servem de posto de recolhimento. Com apoio das polícias Federal e Estadual, a campanha conquista adesão maciça de padres, pastores e instituições religiosas como CNBB, CONIC e Visão Mundial.

Combate à dengue

Um mutirão organizado pelo Viva Rio reúne 700 voluntários e moradores de comunidades para limpar cerca de 22km da linha do trem e eliminar focos de aedes aegypti. A ação começa na Central do Brasil e segue pelos trilhos até Deodoro, percorrendo 19 estações e recolhendo o equivalente a 8 vagões de lixo.

Fórum Dois Irmãos

Em abril, logo após um violento confronto entre facções de traficantes na Rocinha, o Viva Rio se reúne com associações de moradores, entidades religiosas e membros da sociedade para pensar caminhos e ações. Do "Fórum Dois Irmãos" nascem o "Dia do Carinho", o "Rocinha é +" e 10 novas salas de Ensino Médio com a metodologia do Telecurso.

Chegada ao Haiti

Por conta da experiência em mediação de conflitos nas comunidades do Rio de Janeiro, o Viva Rio foi convidado pela Organização das Nações Unidas (ONU) a participar da missão de paz no Haiti.

Programa Acelera Jovem

Realizado em parceria com o governo do estado do Rio de Janeiro, o programa tem como objetivo oferecer uma nova oportunidade de conclusão dos ensinos Fundamental e Médio para jovens e adultos que não puderam prosseguir com os estudos. O Acelera Jovem durou até 2006 e formou 20 mil alunos em 630 salas instaladas na rede de ensino estadual.

Consórcio Social da Juventude

Com a criação do Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego, do Ministério do Trabalho, o Viva Rio e mais oito ONGs cariocas constituem o Consórcio Social da Juventude. O público-alvo são jovens entre 16 e 24 anos com baixa escolaridade, sem acesso ao SINE (Sistema Nacional de Emprego) e recebendo menos de um salário mínimo por mês. Os objetivos do programa são a inclusão social e a qualificação dos jovens para o mercado de trabalho formal.

Viva Rio apoia DDR da ONU no Haiti

O setor de Desmobilização, Desarmamento e Reintegração (DDR) da ONU convida o Viva Rio para oferecer consultoria sobre estratégias de aproximação comunitária e redução da violência em bairros pobres do Haiti. O convite se deve à experiência adquirida com o trabalho de mediação de conflitos nas favelas do Rio de Janeiro. No Haiti, o Viva Rio desenvolve projetos e ações que acabam levando à instalação de uma sede no bairro de Bel Air, na capital Porto Príncipe. Atualmente o Viva Rio desenvolve no Haiti atividades nas áreas de Segurança, Meio Ambiente, Esporte e Ecoturismo.

Plano Municipal de Ordem Pública

O Viva Rio trabalha pela prevenção da violência e a promoção da ordem pública junto a prefeituras de cidades de médio porte como Resende, Niterói, Macaé, Itaboraí e Campos dos Goytacazes. O plano aponta os principais problemas a partir de um diagnóstico da criminalidade nas regiões; identifica os recursos humanos, institucionais e financeiros disponíveis; planeja as soluções de curto, médio e longo prazo; e define os principais atores e parceiros capazes de gerenciar a implementação do projeto.

2005

PRO-GPAE

O Viva Rio cria em convênio com o governo do estado do Rio de Janeiro o Projeto de Avaliação e Revitalização dos Grupamentos de Policiamento em Áreas Especiais, o PRO-GPAE. O programa seleciona e qualifica policiais militares para desenvolver um modelo de gestão de policiamento comunitário em algumas favelas do Rio e de Niterói.

Pro Jovem

O governo federal lança um novo programa de aceleração escolar, o Programa de Inclusão Social de Jovens (Pro Jovem), e a Prefeitura do Rio o implementa em parceria com o Viva Rio. Os beneficiários são jovens de 18 a 24 anos com ensino fundamental incompleto e sem vínculo formal de trabalho. O Pro Jovem integra educação formal, qualificação profissional e ação comunitária.

Brasil: Armas e Vítimas

O livro "Brasil: as armas e as vítimas" apresenta um panorama geral do mercado de armas de fogo e seus efeitos no território brasileiro. A publicação é fruto de uma pesquisa realizada pelo Viva Rio e o ISER, e tem como fonte relatórios do Exército, da Polícia Federal e das polícias de todos os estados da federação. É o primeiro trabalho científico sobre o conjunto das armas pequenas em circulação no Brasil e o seu impacto em vidas humanas.

Ana e Maria

Criado pelo Viva Rio, o projeto Ana e Maria oferece apoio a mães adolescentes com filhos de até dois anos de idade e incentiva a participação dos pais no convívio familiar. Os jovens têm a possibilidade de terminar o ensino fundamental ou médio em um ano e recebem aulas sobre informática, comunicação, planejamento familiar, diversidade sexual, violência doméstica, drogas e direitos humanos.

Nem Guerra nem Paz

Coordenada por Viva Rio, IANSA e ISER, a pesquisa internacional "Nem Guerra nem Paz" apresenta um estudo comparativo sobre crianças e jovens envolvidos com grupos armados organizados em dez países de quatro continentes. Um dos resultados é a criação do projeto "COAV Cidades", que busca desenhar políticas públicas locais para prevenir que crianças e jovens façam parte de grupos armados e auxilia na reintegração daqueles que já estão envolvidos.

Referendo de 2005

Em outubro de 2005 o Brasil realiza um referendo sobre a proibição da venda de armas e munições para civis. Em parceria com outras ONGs, além de igrejas e políticos comprometidos com o controle de armas, o Viva Rio é a principal organização mobilizadora da iniciativa. O referendo proporciona um debate em escala nacional sobre a dramática situação da segurança pública, a necessidade de um maior controle de armas e a modernização da polícia. A proibição não é aprovada apesar de receber mais de 33 milhões de votos.

DIPOL

Com o intuito de ajudar a reformar e modernizar a Polícia Militar, o Viva Rio elabora um plano e um diagnóstico da realidade da instituição com propostas de melhorias. Uma das etapas do DIPOL - Desenvolvimento Institucional da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - consiste em um amplo processo de consulta interna e externa chamado "A Polícia que Queremos". O Viva Rio recebe mais de 5 mil propostas de mudanças nas polícias.

2006

Cavalão com Arte

Projeto cultural organizado pelo Viva Rio em parceria com o Grupamento de Policiamento em Áreas Especiais (GPAE) da Polícia Militar e os moradores da comunidade do Cavalão em Niterói, o "Cavalão com Arte" surge como uma forma de valorizar a comunidade do Morro do Cavalão e integrá-la ao cenário cultural do município. O registro de homicídios no Cavalão foi reduzido a zero após quatro anos de implantação do GPAE.

Comunidade Segura e Biblioteca Virtual

O Viva Rio cria o Comunidade Segura, um portal interativo para troca de informações sobre os principais temas relacionados a segurança pública, controle de armas, juventude em violência armada, mediação de conflito e cultura de paz. O portal produz conteúdo jornalístico, publica artigos e entrevistas e possui amplo espaço para debate, alcançando o interesse tanto do público leigo como de pesquisadores e profissionais da área de segurança. Com versões em português, espanhol e inglês, o portal ficou ativo até 2011 e atualmente pode ser utilizado para consulta de conteúdo.

En la Mira

O boletim virtual mensal "En la Mira - observador latino-americano de armas de fogo" publica artigos, reportagens e entrevistas exclusivas sobre a produção, o comércio e o uso de armas de fogo na América Latina. Com versões em inglês, espanhol e português, o boletim é distribuído para mais de 7 mil pessoas em todo o mundo.

Resgate da Cidadania

Surge de uma parceria entre o Viva Rio e a Secretaria Especial de Direitos Humanos do Governo Federal com o objetivo de viabilizar um caminho alternativo para jovens em situação de vulnerabilidade. Com acompanhamento de tutores comunitários, o projeto oferece educação, qualificação profissional, esporte, atendimento psicológico e apoio jurídico para os jovens e suas famílias.

Rede de Polícias e Sociedade Civil da América Latina

Experiência que reúne policiais, ONGs e pesquisadores de Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Guatemala, México, Nicarágua, Peru e Venezuela, a Rede de Polícias e Sociedade Civil da América Latina promove encontros e debates que dão origem a uma coletânea de artigos apresentando um panorama da segurança pública na região.

CPI das Armas

A Câmara dos Deputados instaura a CPI das Armas e o Viva Rio participa prestando assessoria técnica à Comissão, que promove o primeiro mapeamento do tráfico de armas no Brasil. Um dos resultados é o levantamento do perfil de 146 mil armas ilegais, com o rastreamento de 34 mil delas. A CPI comprova que mais de 80% das armas apreendidas na ilegalidade são brasileiras; que 68% das armas apreendidas com o crime organizado do Rio de Janeiro foram vendidas originalmente por comerciantes legais; e que 18% foram desviadas da própria polícia ou das Forças Armadas.

Seminário “A Polícia que Queremos”

Numa iniciativa inédita no país, a Polícia Militar do Rio de Janeiro convida a sociedade civil para fazer parte de uma ampla discussão sobre a corporação. A busca é por melhorias nos serviços prestados e por mais segurança tanto para a população quanto para os profissionais da área. No fim do seminário as propostas são organizadas em um relatório final consolidado e entregues aos candidatos ao governo do estado do Rio de Janeiro. O Viva Rio é um dos apoiadores do evento ao lado de parceiros como Casa de España, UERJ e TV Globo.

Programa Jovem Aprendiz

O Viva Rio começa a desenvolver o programa Jovem Aprendiz na Região dos Lagos a partir de sua sede em Macaé. Voltado para jovens entre 14 e 24 anos, especialmente aqueles em situação de vulnerabilidade social e moradores de áreas de risco, o projeto tem duração de 24 meses, sendo seis de qualificação e 18 meses de Vivência Profissional realizada nas empresas parceiras. Os jovens aprendizes recebem salário, vale-transporte e vale-refeição, além de terem carteira assinada e direitos trabalhistas garantidos. Atualmente o Viva Rio é um dos principais desenvolvedores do Jovem Aprendiz no estado do Rio de Janeiro.

Segundo Tempo

Em parceria com o Ministério do Esporte, o Viva Rio organiza e supervisiona a formação esportiva de 50 mil crianças e jovens além de gerar empregos para 1.250 instrutores em comunidades pobres de 35 municípios do estado do Rio de Janeiro. O "Segundo Tempo" faz parte das atividades que antecedem os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro buscando democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte e promover o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes.

Assessoria Internacional de Apoio ao Controle de Armas

O Viva Rio é convidado para prestar assessoria ao governo da província de Buenos Aires na análise da base de dados sobre armas apreendidas e na elaboração de uma campanha pelo desarmamento. Em Moçambique o Viva Rio dá consultoria ao PNUD e à IANSA analisando a situação das armas no país e desenvolvendo o projeto de uma campanha pelo desarmamento; em El Salvador dá treinamento sobre marcação e rastreamento de armas de fogo a oficiais da polícia; e em Angola assessora o governo em uma mudança legislativa e no treinamento dos oficiais encarregados do controle de armas.

2007

Impacto das Armas em Crianças

Viva Rio e Small Arms Survey realizam uma consultoria pioneira para a UNICEF sobre o impacto das armas de fogo na vida de crianças e adolescentes. A pesquisa acontece em oito países: Brasil, Colômbia, Haiti e África do Sul são analisados pelo Viva Rio, e Iêmen, Nepal, Senegal e os territórios ocupados da Palestina pela Small Arms Survey.

Manual de Treinamento - Haiti

O Viva Rio desenvolve um manual e vídeos pedagógicos para as tropas militares brasileiras que participam das operações de paz no Haiti. O convite do Exército surge em razão dos cursos de aperfeiçoamento oferecidos para a PM fluminense e da experiência do Viva Rio com mediação de conflitos em territórios violentos do Rio de Janeiro.

Projeto Vencer

Em parceria com outras instituições, como a ONG Companheiros das Américas, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga, a Fiocruz e o Fundo Multilateral de Investimento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Viva Rio cria o Projeto Vencer para oferecer formação profissional a jovens de 16 a 24 anos. O Projeto Vencer aposta também na prática esportiva como uma forma de desenvolvimento da cidadania e de competências exigidas pelo mercado de trabalho.

Subcomissão Permanente de Controle de Armas e Munições

O Viva Rio presta assistência técnica para a Subcomissão Permanente de Controle de Armas e Munições, um órgão oriundo da CPI das Armas que pertence à comissão de Segurança Pública do Congresso Nacional e se reúne semanalmente. A iniciativa, pioneira na América Latina, reforça os controles civis sobre a circulação de armas no país.

Censo de Bel Air - Haiti

O Viva Rio realiza o censo demográfico de Bel Air abrangendo mais de 10 mil famílias. Os temas abordados são demografia (gênero, idade, posição familiar, educação, saúde, trabalho, renda), migração, vitimização, saneamento e condições de habitação. As perguntas são produto de consultas e debates com especialistas da Universidade de Kiskeya, UFRJ, Universidade de Boston, Centro de Instrução de Operações de Paz (CIOpPaz), Organização Mundial de Saúde (OMS), ISER e Viva Rio.

Tambou Lapè (Tambores pela Paz) - Haiti

Evento que marca a assinatura do primeiro acordo de paz entre grupos de cinco zonas vizinhas de Bel Air, região central da capital Porto Príncipe. O processo de paz é conduzido pelo Viva Rio como parte das ações do projeto "Honra e Respeito por Bel Air" e em parceria com a Comissão Nacional de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (CNDDR). O Tambou Lapè reúne 14 grupos locais de "Rara" e quatro bandas de jazz em um desfile de carnaval com presença de grupos rivais e nenhum registro de briga.

Saia Frouxa

O Viva Rio lança na TV ROC da Rocinha o programa televisivo "Saia Frouxa", em que aborda temas relacionados à sexualidade na adolescência como o uso de preservativos, a virgindade e a "primeira vez". Posteriormente o "Saia Frouxa" se torna um programa de rádio transmitido na rádio comunitária da Rocinha. O novo formato é inspirado em uma sala de bate-papo com discussões sobre autoestima, saúde da mulher, trabalho e violência doméstica. O programa ficou no ar até o final de 2013.

Curso de Aprimoramento do GPAE

O Viva Rio passa a oferecer cursos de aprimoramento da atuação policial a partir da parceria com a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro nos Grupamentos de Policiamento em Áreas Especiais (GPAE). A formação visa ao aumento da eficiência do GPAE tendo como prioridades a prevenção, a ética profissional, o respeito à lei e a valorização do papel comunitário na atividade policial, além do conhecimento da rede de assistência para encaminhamento de casos específicos.

Honra e Respeito por Bel Air - Haiti

O projeto Onè e Respè pou Belè, desenvolvido pelo Viva Rio, busca implementar uma missão integradora em Bel Air aproximando ações de segurança, desenvolvimento e ajuda humanitária. A proposta conta com o apoio dos militares e da diplomacia brasileira. Em novembro de 2006 o projeto foi aprovado pelo Governo da Noruega e em 2008 recebeu o apoio do Governo do Canadá (Ministério das Relações Exteriores e CIDA).

Mobilização, Desarmamento e Inserção Social (MDI)

O programa, testado e analisado pelo Viva Rio no Brasil e no Haiti, propõe três passos para lidar com adolescentes envolvidos com grupos armados: a mobilização individual do jovem, seu desarmamento e por fim sua integração à sociedade. O sucesso do MDI depende da criação de condições reais de saída para essas crianças e adolescentes.

2008

Map Rap Pou m Konprann SIDA - Haiti

O Projeto Map Rap Pou m Konprann SIDA promove concursos entre grupos de Rap com a Aids como tema, valorizando os jovens talentos da região de Bel Air e envolvendo-os na luta contra a doença. Os eventos são acompanhados por palestras sobre a importância do uso de preservativos e os cuidados para evitar doenças sexualmente transmissíveis.

Assinatura do Segundo Acordo de Paz - Haiti

No início de 2008 registra-se um aumento nos conflitos entre grupos rivais, principalmente em áreas que não estavam no Acordo de Paz I. O Acordo de Paz II amplia a zona de 11 para 14 bases e é celebrado em Saline com a participação de bandas "raras" rivais. São oferecidas, condicionadas à ausência de mortes provocadas por conflitos micropolíticos, 14 bolsas de estudo para crianças e bolsas de estudo profissional para os 14 músicos das "raras". Aos chefes comunitários - corresponsáveis pela manutenção da paz - são prometidos um prêmio no valor de mil dólares e uma motocicleta caso não aconteçam mortes violentas.

Primeira reunião de Ministros de Segurança das Américas

O Viva Rio participa da organização da reunião realizada no México. O evento marca o início de uma série de encontros periódicos entre os ministros do Interior, Segurança e Justiça dos países membros da OEA com o objetivo de promover, fortalecer e acompanhar políticas de estado em segurança pública com pleno respeito aos direitos humanos.

Ponto de Cultura

O Viva Rio lança seu ponto de cultura apostando na comunicação como estratégia cultural. Por meio de eventos e oficinas, o "Papo Cabeça" capacita jovens moradores de comunidades e estudantes da rede pública a utilizar ferramentas e tecnologias para produzir conteúdo sobre a sua realidade. O material é distribuído pelo portal Viva Favela.

Curso de Pós-Graduação para Policiais

O Viva Rio realiza um curso de pós-graduação lato sensu em Segurança Pública e Cidadania a partir de uma parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO) e a Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (RENAESP) do Ministério da Justiça. O objetivo do curso é formar uma polícia mais moderna e eficiente aproximando-a do conceito de polícia cidadã, valorizando medidas preventivas contra a violência e incentivando a participação da sociedade nas questões de segurança pública.

Kay Nou - Haiti

O Viva Rio inaugura sua sede no Haiti, o Centro Comunitário Kay Nou (Minha Casa). Localizado no bairro de Bel Air, em Porto Príncipe, o espaço recebe atividades de esporte, educação e arte e passa a ser um ponto de referência no país. O Kay Nou serviu de abrigo para milhares de pessoas que perderam suas casas no terremoto que atingiu o Haiti em 2010.

Drogas e Democracia

O Viva Rio integra a coordenação do secretariado da Comissão Latino Americana sobre Drogas e Democracia em conjunto com o Centro Edelstein e o Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC). Os objetivos principais da Comissão são ampliar o debate público sobre drogas na América Latina, avaliar as consequências da "guerra contra as drogas" e buscar políticas mais eficientes, humanas, seguras e favoráveis à consolidação das instituições democráticas na região. Em 2013 surge a Comissão Brasileira sobre Drogas e Democracia (CBDD), que atua intensamente junto ao Congresso Nacional no debate sobre mudanças na política de drogas.

Cooperação para a Redução da Violência Armada

O Viva Rio participa ativamente na elaboração de uma nova pauta para o Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento (CAD) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A nova pauta estabelece que países com renda média e alta possam receber ajuda para combater, prevenir e reduzir a violência armada em contextos fora de conflito. Ao propor a nova pauta, o Viva Rio tem como objetivo desenvolver pesquisas para responder à hipótese de que, em determinados países, o índice de mortes por violência armada é maior do que o índice de mortes em conflitos armados em países ou regiões envolvidas diretamente em guerras.

PRONASCI

O Viva Rio implementa uma série de projetos no Rio de Janeiro em parceria com o novo Programa de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI) do Ministério da Justiça. Destacam-se ações voltadas para jovens em situação de risco, como oficinas profissionalizantes e atividades educacionais, esportivas e culturais.

Zile Vèt - Haiti

Com foco em sustentabilidade, o Zile Vèt (Ilha Verde) é um projeto de reciclagem e revitalização do bairro de Bel Air. O objetivo é transformar os resíduos sólidos em produtos comercializáveis tendo mulheres como condutoras do processo. Além de reciclagem o projeto oferece formação em empreendedorismo e incentivo para criação de microempresas. O Zile Vèt é resultado de parceria entre governo, empresas privadas e ONGs que atuam no Haiti.

2009

Organização Social de Saúde

Motivados pelo desejo de inclusão e justiça social, enxergamos na área de saúde a oportunidade de contribuir para um serviço público de qualidade em comunidades pobres e violentas.

Biodigestores - Haiti

Diante dos graves problemas gerados pela falta de saneamento básico, o Viva Rio desenvolve e instala biodigestores para tratar parte do esgoto gerado no Haiti. São câmaras hermeticamente fechadas que, ligadas a banheiros públicos, reduzem em até 70% o lodo e decompõe 85% das bactérias do esgoto sem o uso de qualquer produto químico. O gás gerado pelos biodigestores é utilizado por escolas vizinhas, cozinhas comunitárias ou famílias que garantam a manutenção dos banheiros, e o que resta é usado como adubo para áreas agrícolas ao redor.

Lixo não tem pé - Haiti

A campanha Fatra pa gen pye (Lixo não tem pé) promove ações de limpeza e propostas de saneamento para Bel Air. O projeto criou mais de 1.400 postos de trabalho, o que contribuiu para a redução dos índices de violência e facilitou e encorajou o desenvolvimento local.

Criança Feliz, Natal Feliz

O Voluntariado do Viva Rio lança a campanha Criança Feliz, Natal Feliz, apoiada por diversas empresas parceiras shopping centers e pelo Metrô Rio. Saiba mais sobre o projeto aqui.

2010

Terremoto no Haiti

Diante da catástrofe natural, que faz cerca de 250 mil vítimas no Haiti, o Viva Rio acolhe 2 mil pessoas em sua sede em Bel Air e participa de programas de ajuda humanitária e defesa civil. E desenvolve, em parceria com especialistas da Noruega e do Brasil, uma série de ações e projetos buscando preservar vidas e recuperar o país.

Arquipélago das Ilhas Cagarras

Desde 2010 o Viva Rio é membro do Conselho Consultivo do Monumento Natural do Arquipélago das Ilhas Cagarras, situado no Rio de Janeiro. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade criou o Conselho para implantar unidades de conservação e zelar pelo cumprimento das normas estabelecidas para essas áreas.

Parque Nacional da Serra dos Órgãos

O Viva Rio passa a ser membro também do Conselho Consultivo do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso). O Parque no Estado do Rio de Janeiro tem área de 20.030 hectares abrangendo os municípios de Guapimirim, Magé, Teresópolis e Petrópolis.

Inverno Quente

O Voluntariado do Viva Rio lança a campanha Inverno Quente. A mobilização é apoiada por empresas, shoppings e o Metrô Rio, e a coleta dos agasalhos acontece sempre no final do outono e durante o inverno. Saiba mais sobre o projeto aqui.

Centros de Atenção Psicossocial (CAPS)

O Viva Rio assume a gestão de quatro Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e dois Centros de Atenção Psicossocial para usuários de Álcool e outras Drogas (CAPS-AD) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Saiba mais sobre o projeto aqui.

Salvando vidas, gota a gota

Salvando vidas, gota a gota é uma campanha realizada pelo Voluntariado do Viva Rio em parceria com hemocentros, associações comunitárias, igrejas e empresas com o objetivo de incentivar a doação de sangue. A campanha acontece de forma contínua e busca estabelecer um fluxo constante de doações para manutenção de estoque nos hemocentros. Saiba mais sobre o projeto aqui.

2011

Academia de Futebol Pérolas Negras - Haiti

O Viva Rio inaugura a Academia de Futebol Pérolas Negras na região de Bon Repos, norte de Porto Príncipe, para gerar impacto social ajudando jovens talentosos e tenazes a perseguir uma carreira no futebol. O complexo tem capacidade para acomodar até 120 atletas, entre meninas e meninos, e conta com ampla estrutura física para as atividades esportivas e educacionais. Para saber mais sobre a Academia de Futebol Pérolas Negras clique aqui.

Tragédia na Região Serrana

Uma catástrofe natural devasta a região serrana do estado do Rio de Janeiro e deixa vítimas em vários municípios. O Viva Rio atua diretamente organizando ações voluntárias de ajuda humanitária e atendimento.

UPA da Rocinha

O Viva Rio assume a gestão compartilhada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Rocinha em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Saiba mais sobre a atuação do Viva Rio na Saúde.

2012

É Preciso Mudar

O Viva Rio lança a campanha "É Preciso Mudar" pela descriminalização do consumo de drogas ilícitas no Brasil. Um dos objetivos é conscientizar a população de que o consumo de drogas é um caso de saúde pública e não de polícia.

Criação do Viva Rio Macaé

O Viva Rio abre sua sede regional em Macaé no dia 12 de agosto e começa pela primeira vez a realizar projetos sem duração pré-determinada fora do município do Rio. A proposta é tentar de certa forma reproduzir a experiência exitosa do Rio de Janeiro, mantendo um envolvimento intenso com a cidade e seus atores públicos, privados e comunitários. Nesses 15 anos de crescimento sustentável o Viva Rio Macaé teve sempre a geração de oportunidades de trabalho como foco, principalmente através do Programa Jovem Aprendiz e mais recentemente do aplicativo VivaPro.

Aceleração Escolar

O Programa de Aceleração Escolar do Viva Rio é reformulado, mas o foco permanece em ações voltadas para o desenvolvimento da educação em comunidades vulneráveis do Rio de Janeiro.

Curso de cidadania e acesso à rede de proteção social

Com financiamento do programa Australian Aid, o Viva Rio implementa um curso de cidadania e assistência à população para policiais lotados em UPPs. O programa dá sequência à parceria entre o Viva Rio e a PMERJ em ações de qualificação e capacitação dos profissionais. O objetivo do curso é qualificar 200 policiais de UPPs como agentes multiplicadores da paz.

Evento de integração IBM e EBX

O Viva Rio é convidado pela EBX e IBM para promover um evento de integração com os voluntários das três organizações. Diversas atividades acontecem ao longo do dia como a preparação das refeições pelos voluntários, a montagem e distribuição de kits esportivos para os jovens atletas da Escolinha de Futebol Futuros Craques do Santo Amaro, a apresentação de atletas de MMA e do voleibol, e a apresentação de talentosos músicos da casa, de amigos e de voluntários do Viva Rio.

2013

Casas Vivas

O Viva Rio ganha licitação para administrar as Casas Viva em cogestão com a Prefeitura do Rio de Janeiro. O projeto surge como uma nova alternativa para jovens que fazem uso abusivo de álcool e drogas. O Viva Rio administrou as Casas Viva até meados de 2017. Veja aqui um material produzido sobre o programa.

Faz Paz

O programa estimula a promoção da saúde através da prática de artes marciais em parceria com unidades de saúde da família e instituições locais. Os objetivos do Faz Paz são inclusão social e canalização positiva da violência urbana nas comunidades mais vulneráveis. Além das aulas de artes marciais o Viva Rio organiza rodas de conversa reunindo alunos e profissionais de saúde.

Brinquedoteca

Projeto criado em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e orientado pelas diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde. Com profissionais formados em psicologia, pedagogia e psicopedagogia, as Brinquedotecas são espaços pedagógicos destinados a meninas e meninos com idades entre três e dez anos que estejam em acompanhamento ambulatorial.

Educação Socioambiental – Cachoeira de Macacu

O Viva Rio desenvolve em Cachoeiras de Macacu um trabalho social com recursos de compensação ambiental do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras. O projeto, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Cachoeiras de Macacu, disponibiliza serviços de informática e internet à população e oferece cursos como Aceleração Escolar, Informática, Educação Ambiental e Cultura e Comunicação a partir das demandas da comunidade. Os objetivos são formação educacional e capacitação técnica para ajudar a população local a gerar renda.

Tecnologias Sociais Rio

O Viva Rio desenvolve, com financiamento da Corporação Andina de Fomentos (CAF), a sistematização de tecnologias sociais utilizadas em seus projetos. A iniciativa elenca sete tecnologias relevantes executadas pelo Viva Rio e que podem ser replicadas considerando as realidades de cada território: Articulação Comunitária, Biodigestores, Educação, Polícia Pacificadora, Resíduos Sólidos, Saúde e Turismo de Base Comunitária. A proposta da coleção “TS Rio” é compartilhar conhecimentos e experiências, para apropriação por formuladores e executores de projetos e até pelos próprios beneficiários dessas políticas sociais.

Jardineiros do Bairro

O Viva Rio resgata o projeto Jardineiros do Bairro, criado em 1997. Financiado dessa vez pela Secretaria Municipal de Saúde, o programa volta com foco em adolescentes das comunidades atendidas pelo programa de Saúde da Família da Prefeitura do Rio de Janeiro. O Jardineiros do Bairro oferece cursos de Jardinagem, Paisagismo, Meio Ambiente, Cidadania e Direitos Humanos, integrando os jovens às áreas onde vivem e estimulando o sentimento de responsabilidade pela conservação dos bairros.

Rede de Esgotamento Sanitário – Itaboraí e Maricá

O Viva Rio desenvolve ações para viabilizar a construção da primeira etapa de uma rede de esgotamento sanitário que inclui um emissário submarino. A mediação entre poder público, empresas privadas e sociedade civil é realizada com o apoio de cursos, palestras, eventos e encontros culturais. Profissionais realizam ouvidorias itinerantes e domiciliares, equipes de assistentes sociais e articuladores socioambientais apuram as expectativas dos moradores em relação ao empreendimento e, de acordo com as demandas da comunidade, são oferecidos cursos ligados a Educação, Cultura e Comunicação. Projeto realizado com recursos de compensação ambiental do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) / Petrobras.

Casa de Cultura Milton Santos

Fruto de mais uma parceria entre o Viva Rio e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, a Casa de Cultura Milton Santos desenvolve ações de promoção social e qualidade de vida por meio de atividades culturais, esportivas e de qualificação profissional. O trabalho realizado no espaço inclui projetos como a Brinquedoteca e o Faz Paz.

Pérolas Negras na Noruega

A equipe masculina sub-16 da Academia de Futebol Pérolas Negras se classifica para a Norway Cup, o maior torneio de futebol juvenil do mundo. O sub-16 dos Pérolas Negras conquista o vice-campeonato após manter-se invicto durante toda a competição, que conta com a participação de 206 equipes do mundo todo.

Prevenção à violência doméstica

O Viva Rio executa o Projeto de Prevenção à Violência Doméstica com o objetivo de capacitar e sensibilizar os profissionais das unidades de Saúde da Família para lidar com o tema. Oferecidos em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, os cursos abrangem aulas de prevenção, identificação, acolhimento, intervenção e acompanhamento das situações de violência doméstica que fazem parte do cotidiano desses profissionais. O Viva Rio promove ainda fóruns de debate que permitem a troca de experiências e a apresentação de fluxos de atendimento em casos de violência doméstica.

2014

Viva Rio USA

O Viva Rio Inc. é reconhecido nos Estados Unidos como uma charity, organização sem fins lucrativos, e passa a oferecer incentivos fiscais para captação de recursos no país. O item 501(c) da legislação tributária norte-americana permite que as doações feitas para o Viva Rio nos EUA tenham seu valor descontado no imposto de renda.

Pérolas Negras x Seleção de Favelas

O Pérolas Negras vence amistoso contra a Seleção Brasileira de Favelas do Rio de Janeiro em sua primeira visita ao Brasil. A troca de experiências, técnicas e espírito esportivo entre duas equipes oriundas de áreas socialmente vulneráveis é extremamente rica, e a divulgação da partida possibilita a exposição de talentos individuais e o reconhecimento da qualidade técnica da Academia de Futebol Pérolas Negras, que contribui para a profissionalização do esporte no Haiti e o desenvolvimento das divisões de base no país.

UPAs estaduais

O Viva Rio ganha licitação para administrar cinco Unidades de Pronto Atendimento do Governo do Estado do Rio de Janeiro. As unidades estão situadas na Ilha do Governador, Engenho Novo, Penha, Irajá e Maré. Saiba mais sobre as UPAs geridas pelo Viva Rio aqui.

Viva Rio Eficiente

O Viva Rio lança o projeto Viva Rio Eficiente para promover igualdade de oportunidades e inclusão social das Pessoas com Deficiência (PCD). Saiba mais aqui.

Programa Proximidade

Criado em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, o programa realiza um trabalho diário de aproximação gradativa, escuta qualificada e compreensão das demandas dos usuários de drogas. O Proximidade conta com equipes multidisciplinares - formadas por assistentes sociais, psicólogos, educadores e supervisores - que mapeiam as cenas de uso e prestam assistência à população em situação de rua.

Eficiência Energética - Itaboraí

O Viva Rio, em parceria com a concessionária de distribuição de energia AMPLA, elabora e executa o projeto do Centro de Oportunidades e Efetividade Energética em Itaboraí. O objetivo principal é desenvolver ações sociais integradas nas localidades da Reta Velha e da Reta Nova, fomentando o desenvolvimento econômico local por meio de atividades de geração de renda, formação para o mercado de trabalho e educação formal.

Favela tem Memória

O Viva Rio lança o portal Favela tem Memória, que disponibiliza acervos fotográfico, histórico e audiovisual sobre as transformações dos estilos de vida e da paisagem urbana das comunidades do Rio de Janeiro. A página reúne histórias e lembranças de lideranças comunitárias, imigrantes, sambistas, donas de casa e moradores das favelas, além de trabalhos científicos de historiadores e antropólogos que atuam no projeto. O Favela tem Memória é desenvolvido em parceria com o Metrô Rio e o Instituto Invepar.

2015

Haiti Aqui

O Viva Rio cria o projeto Haiti Aqui para facilitar a integração do imigrante haitiano à sociedade brasileira promovendo eventos e estabelecendo articulações. O site Haiti Aqui oferece informações sobre processos administrativos, oportunidades de emprego e cursos de capacitação, além de atendimento online para tirar dúvidas e um mapa com endereços úteis para os imigrantes. O portal ainda conta com o Voz do Haiti, programa da Rádio Viva Rio totalmente dedicado à cultura haitiana.

UPA do Alemão

Em março de 2015 o Viva Rio assume a cogestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Hospital Municipal Aurelino Gonçalves Barbosa - Pinheiral

O Viva Rio assume também a cogestão do Hospital Municipal Aurelino Gonçalves Barbosa em parceria com a Secretaria Municipal de Pinheiral. Saiba mais aqui.

Viva Primeira Infância

Englobando as áreas de Saúde e Segurança Humana, o Viva Primeira Infância é um programa de visitação domiciliar que estimula o brincar entre crianças de 0 a 2 anos residentes em áreas vulneráveis do Rio de Janeiro. A ideia é oferecer apoio às famílias para que elas sejam um núcleo cuidador e facilitador do desenvolvimento cognitivo, motor, social e emocional de suas crianças. O projeto propõe uma abordagem integral, que não somente garanta sobrevivência e saúde física mas promova também o estabelecimento de vínculos, a convivência familiar e comunitária saudável e o desenvolvimento criativo das crianças.

Saúde na Linha

Em meados de 2015 o Viva Rio implanta o Programa de Monitoramento de Gestantes e Puérperas de Alto Risco. O programa surge por conta do alto número de mortes de mulheres grávidas na Área de Planejamento 3.1, que vai de Bonsucesso ao Jardim América, na zona norte do Rio, onde o Viva Rio administra diversas Clínicas da Família em parceria com a Prefeitura. Em apenas seis meses de atuação o programa consegue reduzir o número de mortes maternas de 13 óbitos no 1º semestre para apenas um no 2º semestre. Posteriormente o programa passa a se chamar Saúde na Linha e é expandido para outras Áreas de Planejamento do Rio e para Paraty, sempre em parceria com as secretarias de saúde dos municípios.

U.A.A. Metamorfose Ambulante

Criada pelo Viva Rio dentro da Rede de Atenção Psicossocial, a Unidade de Acolhimento Adulto Metamorfose Ambulante (UAA) oferece acolhimento transitório a pessoas que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas. A unidade, com capacidade para acolher até 15 adultos, funciona como uma casa onde quem está em tratamento nos CAPS recebe apoio profissional e pode viver por um período de até seis meses. Os moradores recebem apoio na busca de emprego, de estudo e de outras alternativas de moradia nesse espaço aberto onde o acolhimento é sempre voluntário.

Hospital São Pedro de Alcântara - Paraty

Em novembro de 2015 o Viva Rio começa a administrar o Hospital São Pedro de Alcântara em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Paraty. Saiba mais aqui.

Pérolas Negras na Copa da Amizade

O Pérolas Negras participa da Copa da Amizade Brasil-Japão de Futebol, criada em 1998 e organizada pelo Clube de Futebol Zico (CFZ). Além de Brasil e Japão, outros países já participaram do campeonato, sendo 2015 a primeira participação de uma equipe haitiana: o time sub-15 dos Pérolas Negras. O time não se classificou para a segunda etapa do campeonato, perdendo os últimos dois jogos por 0x2 contra o Flamengo e 0x1 contra a Portuguesa.

2016

Pérolas Negras no Brasil

Os Pérolas Negras são convidados a jogar a 47ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, maior torneio sub-20 do Brasil. Primeiro time estrangeiro a participar da competição, o Pérolas Negras ganha matérias nos principais veículos da imprensa brasileira. A participação na Copinha marca uma nova etapa para a Academia Pérolas Negras, que inicia atividades fixas em um novo centro de treinamento em Paty do Alferes após a competição.

Favela Hub

O Espaço Criança Esperança, inaugurado em 2001 na comunidade do Cantagalo para o desenvolvimento de projetos sociais, é reinaugurado agora com um novo conceito. A ideia é transformar o lugar em um “hub social”, onde o aspecto social dos programas esteja acompanhado de um caráter de inovação. Além das atividades esportivas, educacionais e culturais, a aposta é em desenvolver e testar novas tecnologias sociais e oferecer cursos e oficinas que ajudem os jovens locais a gerar renda. Saiba mais sobre o Favela Hub aqui.

De olho no lixo

Elaborado pelo Viva Rio, com orientação técnica do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e financiamento da Associação dos Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), o projeto "De olho no lixo" busca criar formas de gerar renda a partir de resíduos sólidos. Clique aqui para saber mais.

Academia de Futebol Pérolas Negras na Copa Alterosa

O time de futebol sub-20 dos Pérolas Negras é campeão da Copa Alterosa da Zona da Mata. Em uma disputa acirrada, o time vence a partida final contra o Sport Clube Aymorés em Ubá, município de Minas Gerais. Donos da melhor campanha da Copa Alterosa, os Pérolas Negras fecham o campeonato invictos com sete vitórias e quatro empates.

Pérolas Negras no Matera Sport Film Festival

O documentário "Fome de Bola", dirigido por Sidney Garambone e realizado pela Globo News, é eleito o melhor documentário esportivo estrangeiro do Matera Sport Film Festival na Itália. O filme mostra a trajetória de jovens haitianos que deixaram sua terra natal para perseguir uma carreira como jogadores profissionais de futebol no Brasil. Veja aqui.

5ª Reunião do Fórum Permanente de Segurança Pública

O Viva Rio participa, em parceria com a Escola de Magistratura do Rio de Janeiro (EMERJ), da 5ª Reunião do Fórum Permanente de Segurança Pública, cujo tema principal é "As encruzilhadas da atual política de drogas e os efeitos no cuidado dos usuários". O encontro reúne especialistas de saúde, saúde mental, segurança, assistência social e judiciário que analisam os efeitos da Guerra às Drogas que já encarcerou cerca de 140 mil pessoas somente no Rio de Janeiro.

Viva Pro

O Viva Rio lança o Viva Pro, plataforma criada para facilitar o retorno de pessoas desempregadas ao universo do trabalho. Clique aqui para saber mais sobre o Viva Pro. Site: http://www.vivapro.org/.

Pérolas Negras na Copa do Caribe 2016

Treinada pela Academia de Futebol Pérolas Negras, a equipe sub-17 do Haiti conquista o primeiro lugar nas classificatórias da Copa do Caribe. Os haitianos completam a rodada final com uma marca de quatro vitórias e um empate, e, com a classificação, o time segue com sua preparação para as eliminatórias da CONCACAF disputadas no Panamá em abril e maio de 2017.

Pérolas Negras sub-17 na Copa Alterosa

A Copa Alterosa de 2016 tem a participação da equipe sub-17 da Academia de Futebol Pérolas Negras, recém-chegada da escola de base no Haiti. Apesar da campanha superior aos adversários e das sucessivas vitórias, o Pérolas Negras perde na final contra o respeitado time do Aymorés.

1 ano de Hospital Municipal Ronaldo Gazolla

O Viva Rio comemora um ano de administração do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla em cogestão com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Funcionários, usuários e vizinhos dão um grande abraço ao Hospital, acompanhado por dois minutos de silêncio, e dezenas de balões brancos e azuis colorem o céu de Acari simbolizando a paz e as conquistas alcançadas. Clique aqui para saber mais sobre o Viva Rio no Hospital de Acari. A cogestão marca o reencontro do Viva Rio com Acari, já que em 1994 a instituição apoiou a criação da Fábrica da Esperança idealizada pelo pastor Caio Fabio.

VRB

O VRB (Viva Rio Brasil) é criado com a missão de perpetuar o estilo ousado, inovador e responsável que caracteriza o Viva Rio, aproximando a instituição do mercado financeiro e ampliando o seu impacto no Brasil através de parcerias estratégicas dentro e fora do país. O objetivo do VRB é fomentar projetos inovadores do Viva Rio que ajudem jovens e crianças vivendo em situações vulneráveis a buscar um futuro melhor. Saiba mais sobre o VRB aqui. Site: http://vrb.org.br/

Viva Rio, Empresa Social

A busca por modelos sustentáveis, parcerias vantajosas e novas fontes de recurso. Isso faz do Viva Rio uma Empresa Social.

2017

Pérolas Negras na Copa São Paulo

O Pérolas Negras é convidado pela segunda vez consecutiva a participar da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Derrotado pelo Goiás (4x0) e pelo Cori-Sabbá-PI (1x0), o sub-20 dos Pérolas vence o Nacional por 2x0 em sua última partida na competição. As boas atuações, se não são suficientes para a classificação da equipe para a segunda fase da Copinha, servem para dar grande visibilidade ao projeto e aos atletas – dois jovens haitianos, Waby e Jacko, chamam a atenção do Goiás e são contratados pelo clube.

Espaço ELOOS

Inaugurado no bairro do Campinho, Zona Norte do Rio, o Espaço ELOOS surge como a primeira casa para acolhimento de mulheres grávidas e recém-mães que fazem uso abusivo de álcool ou outras drogas na cidade. A unidade, administrada pelo Viva Rio em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos da Prefeitura do Rio, oferece apoio para evitar a separação prematura entre mãe e bebê e busca criar condições para uma primeira infância mais saudável e segura. O acolhimento inclui visitas domiciliares e ações integradas de saúde e saúde mental visando à construção de um projeto de vida para mães e bebês em extrema vulnerabilidade.

Campeonato Sub-17 da CONCACAF

Após meses treinando na Academia Pérolas Negras em Paty do Alferes, no Estado do Rio, a Seleção Haitiana de Futebol Sub-17 viaja para disputar a segunda etapa da 18ª edição do Campeonato Sub-17 da CONCACAF no Panamá. A equipe cumpre boas atuações contra países com muito mais tradição e, após segurar um empate por 0x0 contra os donos da casa, fica muito perto de conquistar uma vaga para o Mundial ao terminar o primeiro tempo vencendo a seleção de Honduras por 1x0 na última rodada – com um jogador a mais, a seleção hondurenha acaba virando a partida.

Guarda-parques do Estado do Rio

O Viva Rio vence licitação para coordenar o trabalho de todos os guarda- parques das unidades de conservação do Estado do Rio. Em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (INEA), o Viva Rio seleciona, contrata e treina 160 guarda-parques para proteger a flora, a fauna e os visitantes nas unidades. Os profissionais recebem formação também para promover oficinas, palestras, exposições e atividades de lazer e sensibilização socioambiental para grupos escolares, escoteiros e outros visitantes.

Doação de sangue

A Campanha Salvando vidas, gota a gota bate recordes. Só no primeiro semestre são 441 doadores, superando a média anual de 300 doações e mais que dobrando as 171 bolsas doadas no mesmo período de 2016. O sucesso da campanha é resultado de parcerias com empresas, igrejas e outras instituições e do enorme esforço dos voluntários e profissionais de saúde que trabalham juntos na mobilização de doadores.

Trilha inclusiva

É inaugurada no final de agosto a trilha do Curumim, no Parque Estadual Cunhambebe em Mangaratiba, criada por guarda-parques sob responsabilidade do Viva Rio e adaptada para permitir o acesso de pessoas com deficiência. Os visitantes têm a chance de conhecer a natureza através de vários sentidos e de plantar mudas de espécies nativas da região. 25 jovens participam das atividades de educação e interpretação ambiental conduzidas pela equipe do parque na inauguração da trilha acessível.

Comissão Independente de Segurança Pública

O Viva Rio realiza a reunião inaugural para formação de uma comissão independente para acompanhar as operações das Forças Armadas no Rio de Janeiro. A comissão é composta por 17 membros da sociedade civil que acreditam no futuro do Rio e buscam criar uma agenda propositiva para ajudar a revigorar a segurança pública do Estado. Os planos envolvem um trabalho de monitoramento tanto quantitativo quanto qualitativo das operações militares para medir seus impactos. A parte quantitativa fica a cargo do Instituto Igarapé, encarregado de organizar dados de atuações específicas e avaliar resultados antes e depois de ações, enquanto o qualitativo é um esforço conjunto para ouvir moradores dentro e fora das comunidades, polícias, autoridades e organizações civis.

SAMU Médio Paraíba

O Viva Rio passa a gerir o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) dos 12 Municípios abrangidos pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paraíba no Estado do Rio de Janeiro: Barra do Piraí, Barra Mansa, Itatiaia, Pinheiral, Piraí, Porto Real, Quatis, Resende, Rio Claro, Rio das Flores, Valença e Volta Redonda.

Pérolas Negras é campeão sub-20 da Série C do Carioca

No dia 9 de novembro o time dos Pérolas Negras conquista de forma invicta o título de campeão carioca da Série C sub-20 ao vencer a equipe do Itaperuna por 2x0. Os dois gols são marcados pelo atacante haitiano Shalmy no duelo final disputado no Estádio do Avelar, em Paty do Alferes, casa dos Pérolas no Campeonato Carioca. A equipe já havia vencido o primeiro confronto da final e precisava só de um empate para ser campeã.

Pérolas Negras é campeão da Série C do Campeonato Carioca

O Pérolas Negras conquista seu primeiro título profissional. O time de refugiados faz história na Série C do Campeonato Carioca sendo campeão logo em sua estreia na competição. A equipe se mantém na liderança do Grupo A durante todo o campeonato e garante com o título o acesso à Série B2 em 2018. A partida final contra o Campos é disputada no Estádio Ferreirão, em Cardoso Moreira, e termina em 0x0, placar que dá o título aos Pérolas após a vitória por 3x0 no primeiro jogo da final disputado em Avelar. A equipe conquista ainda o troféu Fair Play, reconhecimento muito valorizado em um projeto que alia formação profissional ao desenvolvimento humano e cidadão dos atletas.

Projeto Blue, Red and Green

O projeto Blue, Red and Green é lançado em parceria com a polícia nacional do Haiti com o objetivo de promover paz e inclusão social por meio da aproximação entre população e forças de segurança. O projeto é financiado pelo governo do Canadá para engajar comunidades de áreas pobres e violentas nas ações e decisões das forças policiais.