Cresce satisfação na Maternidade Mariana Crioula

Crescimento no número de monitoramentos, melhor atendimento, acompanhamento mais próximo e humanizado das gestantes, desenvolvimento de boas práticas e maior satisfação das usuárias. Estes foram alguns dos novos indicadores da Maternidade Mariana Crioula apresentados no Hospital Ronaldo Gazolla, em julho, com a presença do Diretor Executivo do Viva Rio, Rubem Cesar Fernandes.

MATERNIDADE GAZOLLA

Equipe comemora os bons resultados da Maternidade Mariana Crioula|Foto: Sávio Hermano

Gerida pelo Viva Rio e Coordenada por Antonio Braga, a maternidade conquista uma imagem cada vez mais positiva na rede de saúde pública. A aprovação dos usuários é causa desta mudança. “Vejo que nasce uma nova maternidade Mariana Crioula no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. A unidade, que apresentava os piores indicadores do Rio de Janeiro, hoje não apenas melhorou aspectos como mortalidade materna e asfixia perinatal, e também mostra importantes avanços na satisfação das usuárias”, comemorou Antonio Braga.

A apresentação começou pela equipe de Enfermagem Obstétrica, coordenada pela enfermeira Vanessa Rosa. Em uma linha do tempo, ela demonstrou as boas práticas executadas, com o objetivo de promover maior conforto para as gestantes. A preocupação com a humanização do atendimento no período de gestação e puerpério é visível nos resultados da pesquisa.

MATERNIDADE R GAZOLLA

Apresentação|Foto: Sávio Hermano

número de atendimentos com hora marcada, sem nenhum tipo de atraso, por exemplo, aumentou de 45% para 83% nos últimos três meses. O nível de satisfação com o atendimento geral da unidade também cresceu, de 12% para 87%, praticamente uma inversão no gráfico. Clique aqui e veja os gráficos da pesquisa completa.

Apesar dos bons resultados na maioria dos pontos, Raphael Barreto, enfermeiro responsável pelo Programa, registra que “ainda há questões que precisam ser discutidas com os diversos atores envolvidos na assistência direta e indireta às gestantes, parturientes e puérperas atendidas na unidade”.

Satisfeito com a evolução dos índices do hospital, Antonio Braga aponta uma questão específica a ser trabalhada:“Temos que melhorar a adesão da unidade ao aleitamento materno exclusivo, que ainda passa por uma sensibilização maior das equipes. Este é o primeiro foco da nossa gestão nos próximos meses”, disse o coordenador da maternidade.

Os resultados alcançados colaboraram para ratificar os significativos avanços e promover uma reflexão sobre os pontos que necessitam de melhorias no processo de trabalho. Para o Coordenador da Ouvidoria Viva Rio, Maurício de Castro, “o Programa representa uma importante e potente ferramenta de apoio à gestão e, sobretudo, uma escuta qualificada e humanizada das gestantes e puérperas que recebem o atendimento na Maternidade”.

A pesquisa foi realizada com a participação de 820 mulheres entre fevereiro e junho de 2016.

(Texto e fotos: Sávio Hermano)

Postado em Notícias na tag .