Áreas carentes do Rio ganham Clínicas da Família

Os últimos meses de 2016 foram pródigos em inaugurações de novas unidades municipais de saúde, em co-gestão com o Viva Rio, nas Áreas Programáticas (APs) 3.3 (de Acari a Vista Alegre)  3.1 (de Bonsucesso ao Jardim América). Ao todo, foram abertas seis clínicas de família (CFs). Além de novas instalações e mobiliário, todas passaram a oferecer equipamentos de raio X e ultrassom – fundamental para o acompanhamento pré-natal – e a maioria teve as equipes ampliadas.

Honório Gurgel, na AP 3.3, por exemplo, que não dispunha da cobertura de nenhuma unidade de saúde municipal, passou a contar com a CF Aderson Fernandes, também conhecida como Filoca, em 18 de setembro, com quatro equipes de saúde da família (com médico de família, enfermeira, agentes comunitários e técnico de enfermagem) e duas equipes de saúde bucal (dentista, auxiliar e técnico em saúde bucal).

Quem já está fazendo o pré-natal na nova unidade é Daiana, 27 anos, filha do meio dos quatro de Jaciara Miranda, 46 anos, moradora da comunidade, que já tem cinco netos. “Agora podemos contar com procedimentos que não tínhamos por perto, como ultrassom. Para mim e minha família, melhorou bastante”, festeja.

O nome foi mantido, mas as mudanças, foram da água para o vinho. O antigo Centro Municipal de Saúde (CMS) Edma Valadão, em Acari, passou a ser uma CF, inaugurada em 10 de novembro.  Neste caso, foram mantidas sete equipes de saúde da família e três de saúde bucal.

“A população recebeu muito bem a inauguração. Eles saíram de uma estrutura sem conforto para um espaço mais amplo e bonito. O antigo CMS sempre teve uma adesão muito grande, porque é uma população fragilizada, que pressionou pela melhora”, lembra a gestora do contrato de Estratégia da Saúde da AP 3.3, Luciana Krull.

A usuária Eni Gomes Cordeiro, 58 anos, está satisfeita com a nova unidade – “nosso povo precisa tanto de saúde”, diz -, mas não tem podido sair de casa por conta do AVC sofrido por sua mãe. “Sou diabética e minha família precisa deste tipo de atendimento por perto. A clínica ficou bonita, inclusive minha filha, Aline, de 34 anos, está trabalhando lá como agente comunitária”, completa.

Com a CF Cypriano Chagas, em Coelho Neto, não foi muito diferente. Mais próxima ao asfalto, a unidade foi inaugurada em 28 de setembro, em substituição ao antigo CMS Morro União, cujo acesso era precário e exigia que as gestantes subissem escadas. A mudança foi resultado de muitas campanhas e abaixo-assinados da população local.

A advogada Maria do Socorro Barreto de Freitas, 60 anos, que o diga. Ela mora em frente à CF, onde faz consultas, exames e adquire remédios. “Tenho que parabenizar a nova clínica, só espero que Crivella dê continuidade a este serviço de saúde à população”, diz, referindo-se ao prefeito eleito.

O melhor foi que a comunidade de Coelho Neto, atendida por quatro equipes de saúde da família, passou a contar com sete equipes – três delas deslocadas de localidades próximas -, e a saúde bucal pulou de duas para três equipes. “As duas novas unidades foram inauguradas com muita festa, alegria e com a presença do prefeito Eduardo Paes”, acrescenta Luciana Krull.

Inaugurações na 3.1 

Em 25 de novembro, foi aberta a CF Valter Felisbino de Souza, em Ramos, na zona Norte da cidade, com participação do secretário de Coordenação da Prefeitura, Pedro Paulo. “A intenção foi substituir o antigo CMS Alemão em novo espaço, na mesma área. As seis equipes de saúde que atendiam o CMS passaram a oito e foi acrescentada mais uma equipe de saúde bucal às três que existiam”, contabiliza Wimerson Domingues, gestor de contrato da 3.1.

Por ser hipertenso, diabético e se recuperar de um enfisema pulmonar causado pelo cigarro que ele já abandonou, o aposentado Ronaldo Machado de Souza, 72, era usuário do CMS Alemão e está encantado com a inauguração da nova unidade: “Ficou excepcional, bem melhor que o Alemão, está todo mundo falando bem”, comemora. Como trabalhou em farmácia no início da vida profissional, ele tem um olhar crítico para o setor: “eles são muito criteriosos”, complementa.

Neste mesmo dia 25, a AP 3.1 ganhou outra unidade nova em folha, a CF Kleber de Oliveira Rocha, em Olaria. Desta vez, a intenção foi desafogar o atendimento da CF Felipe Cardoso, na Penha, totalmente saturada, e o CMS Alemão ou, na prática, o Valter Felisbino, que o substituiu.

A autônoma Leni Santos, 46 anos, está muito satisfeita em contar com a nova clínica por perto. “Ficou maravilhoso, os funcionários são muito educados”, elogiou, enquanto de preparava para levar a filha Thaynara, de 22 anos, para se vacinar contra difteria e tétano (DT) na unidade.

Em 30 de setembro a Ilha do Governador passou a contar com um aumento da assistência primária com a inauguração da CF Wilma Costa, no Cocotá, instalada ao lado da UPA Pediátrica. Assim, crianças e adultos ganham assistência de qualidade na Ilha do Governador.

(Texto: Celina Côrtes| Fotos: Divulgação)

Postado em Notícias na tag .