Realidade virtual mistura tecnologia e inovação

Com a meta de estimular as crianças a construírem seus próprios projetos usando os equipamentos da Estação Futuro, novo polo de educação tecnológica do Espaço Criança Esperança, no Morro Cantagalo, foi realizado nesta quarta-feira (17), às 11h, o 1º Workshop de realidade virtual. A parceria é do Viva Rio com a escola Singularity University, da Califórnia.

Erika Barraza, representante da Singularity University, destacou a importância do ensino através da tecnologia como uma forma de transformar o mundo. “Nosso objetivo é educar, inspirar e ao mesmo tempo capacitar as pessoas para enfrentar grandes desafios”, completou.

Vitor Madeira_Viva Rio (41)

Cerca de 20 jovens participaram do Workshop na Estação Futuro l Foto: Vitor Madeira

Antes mesmo de começar o workshop, os jovens moradores do Cantagalo assistiram pequenos filmes através de óculos tecnológicos, criados pela universidade americana e pelo Google. São pequenas caixas de papel que encaixam no rosto, cujo aplicativo conectado ao celular dá acesso às mais variadas imagens, em 180 e 360 graus. Como se a pessoa estivesse dentro daqueles cenários.

Para explicar o que é realidade virtual, Erika Barraza deu como exemplo a câmera de celular: equipamento que filma de uma forma parecida com a visão do olho humano. Outros aplicativos permitem filmagens em até 360 graus. Existem ainda diversos tipos de tecnologia, como a nanotecnologia, o computador, a produção e a transmissão de energia, robôs e inteligência artificial, conforme esclareceu a representante.

Vitor Madeira_Viva Rio (42)

Francisco Araújo, do Viva Rio, ao lado de Érica Barraza | Foto: Vítor Madeira

O coordenador de Educação e Inovação do Viva Rio, Francisco Araújo, aproveitou para incentivar a produção autônoma de projetos: “Vocês podem começar a filmar agora e se tornarem especialistas”, provocou. Araújo também sugeriu diferentes opções para o uso dos equipamentos. “Imagina se vocês pudessem usar tecnologia para aprender história, seria muito mais interessante. A oportunidade de vocês aqui é única”, sublinhou.

Que o diga Jonatan Correia, de 17 anos. Empolgado com as aulas de animação 3D e modelagem, aprender, para ele, nunca foi tão fácil: “Isso é tudo o que a gente queria e nunca tinha visto por aqui”, exultou. Ele também conheceu o aplicativo Game Maker, exemplo de ferramenta simples e prática para a criação de jogos.

Vitor Madeira_Viva Rio (16)

Jonatan Correia entrou em contato com as novas tecnologias l Foto: Vitor Madeira

As aulas com impressora 3D prometem unir inovação e criatividade. “A partir de um ideia simples, podemos criar algo diferenciado”, observou Edu Figueiredo, professor de Tecnologia da Estação Futuro. O equipamento é uma novidade no mundo tecnológico, à disposição dos moradores do Morro Cantagalo e Pavão-Pavãozinho. Figueiredo levou quatro horas para fazer um robô, objeto que sai da impressora em três dimensões. “Depois da impressão, a peça pode ser pintada com qualquer tipo de cor, do jeito que a pessoa quiser”, ensinou.

Oficina de percussão

Jovens da Orquestra de Percussão “Mestre Dá” marcaram presença não só para aprender, como para ensinar. O mestre de bateria convidou visitantes americanos para encerrar o evento com uma oficina de Percussão. As palmas ritmadas acompanharam o grupo, que tocou samba, funk e pop. O workshop mostrou que o conhecimento virtual pode se tornar uma nova ferramenta para futuras transformações.

Vitor Madeira_Viva Rio (23)

Jovens percussionistas do Cantagalo oferecem oficinas para todos visitantes l Foto: Vitor Madeira

Na semana que vem terão início as oficinas de Tecnologia, no entanto, alunos da turma de robótica já começaram a idealizar uma futura batalha de robôs. A produção de robôs será feita com materiais reciclados, como canos de PVC e fios de cobre, com movimentos reais, comandados pelo computador. A batalha promete ser um sucesso.

( Texto: Thaís Cavalcante l Fotos: Vitor Madeira )

Postado em Notícias na tag , .