Viva Rio comemora 22 anos com muita música

O pagode do grupo Estylo de Ser, o ritmo da Escola de Samba São Clemente e do Samba de Esquina, o Rock 2 e a exibição do Dream Team do Passinho, comandados pelo rapper MC Marcinho, vão turbinar a festa de fim de ano do Viva Rio nesta quinta-feira (17), a partir das 17h, na quadra da São Clemente (Avenida Presidente Vargas, 3102 – Centro).

Vitor Madeira_Viva Rio (2)

Os grupos se apresentam no palco da São Clemente|Foto: Vitor Madeira

 

Além de comemorar os 22 anos de atividades da instituição, a festa celebra a chegada ao Brasil do time de futebol haitiano Pérolas Negras, que desembarca em São Paulo na quinta-feira (31), onde participa da Copa São Paulo de Futebol, a Copinha, a partir de 03 de janeiro. Os atletas vão se estabelecer temporariamente no Centro de Treinamento do Viva Rio, em Miguel Pereira, na região Centro-Sul fluminense.

 

O seu apoio vai ajudar a realizar o sonho de centenas de atletas. Para isso, basta colaborar com R$ 15, que darão direito a dois ingressos e duas bebidas. A doação pode ser feita online, o que acrescenta R$ 2,00 por ingresso, com cartão de crédito, débito ou boleto bancário. Todos os recursos angariados serão destinados aos Pérolas Negras.

Jogadores da equipe sub-20 do time haitiano no centro de treinamento | Foto: Vitor Madeira

Toda a biloheteria será revertida para o time haitiano | Foto: Vitor Madeira

 

O Pérolas Negras é um time de futebol formado por meninos e meninas da Academia de Futebol Pérolas Negras, projeto criado em 2011 pelo Viva Rio no Haiti com o objetivo de profissionalizar o esporte haitiano, promover o talento e a auto-estima de jovens atletas em situação de vulnerabilidade.

Vitor Madeira_Viva Rio (4)

Os Pérolas Negras vão competir na Copinha, em São Paulo|Foto: Vitor Madeira

Segundo o diretor executivo do Viva Rio, Rubem César Fernandes “os jovens ficam de segunda a sábado na academia. Treinam de manhã e à tarde e têm cinco refeições por dia. Ele acrescentou que o Centro de Treinamento começou a ser construído em 2009 mas foi afetado pelo terremoto de 2010. “Recuperamos o trabalho e terminamos as obras em julho de 2011”, informou.

 

Este ano, o agradecimento pelos objetivos alcançados em 2015 pelo Viva Rio também é tema do encerramento, com um momento ecumênico na abertura da festa para o louvor de Robson Maia, o lírico de Graziele di Castro e o batuque afro de Imalê ifé.

(Texto: Celina Côrtes|Fotos: Vitor Madeira) 

 

 

Postado em Notícias na tag .