Troca de tiros na Maré atinge funcionária do Viva Rio

Desde o dia 24, os moradores do Complexo da Maré estão sofrendo com tiroteios constantes na comunidade. Nesta quarta-feira (29), a agente de saúde do Viva Rio Carmem dos Santos Sales, 29 anos, foi atingida por uma bala perdida. Carmem foi operada no Hospital Miguel Couto. Ela ainda está hospitalizada e se recupera bem.

2016-06-30

Os moradores do Complexo da Maré estão sofrendo com tiroteios constantes na comunidade | Foto: Thaís Cavalcante | Viva Rio

 

Em viagem profissional aos Estados Unidos, Rubem César Fernandes, diretor executivo do Viva Rio, prestou solidariedade a Carmem e ficou chocado com o episódio. “Estamos com Carmem e com os moradores da Maré”, afirmou, lembrando que a comunidade sempre soube que pode contar com a instituição.

Vitor Madeira_Viva Rio (50)

Rubem César: “Estamos com Carmem e com os moradores da Maré” | Foto: Vitor Madeira

“Os funcionários são capacitados permanentemente e têm acesso a protocolos de segurança. Eles também recebem atendimento psicossocial e são acompanhados em casos como este. Temos medidas preventivas e contingenciais pensadas para que possamos trabalhar mesmo em situações adversas “, informou Daiana Albino, coordenadora da Rede de Relacionamento do Viva Rio.

Segundo ela, o Viva Rio gerencia oito unidades de saúde dentro da Maré e a população precisa ter garantido o seu direito de ir e vir. Daiana vai ao complexo nesta sexta-feira (01/07), acompanhada do líder comunitário Seu Amaro, liderança local, para ouvir os moradores e mostrar que eles não estão sozinhos. “Queremos que a população tenha paz, uma vida mais digna, e garantia de acesso à saúde”.

 

Daiana Albino defende o uso da solidariedade e da tolerância | Foto: Tamiris Barcellos

Daiana Albino vai à Maré nesta sexta-feira ouvir os moradores | Foto: Tamiris Barcellos

Sobre Carmem, que trabalha no Viva Rio desde agosto de 2014, descreve Ana Schneider, coordenadora de Saúde e Desenvolvimento Social do Viva Rio.  “É uma ótima funcionária, dedicada”, avalia. “Estamos aliviados em saber que ela passa bem”.

2016_06_16_Apresentação_Relatório_Ronal_Gazola_005

Segundo Ana Schneider, Carmem é uma ótima e dedicada funcionária| Foto: Paulo Barros

A jovem foi atingida na tarde de quarta-feira, pouco depois de deixar o Centro Municipal de Saúde (CMS) Hélio Smith, na Nova Holanda, acompanhada de uma amiga. O projétil atravessou seu braço direito e se alojou no tórax. Ela foi encaminhada ao Hospital de Bonsucesso e transferida, de madrugada, para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, onde foi submetida a uma cirurgia. A família não pode acompanhar a filha também por conta da operação policial na Maré.

Vídeo para tranquilizar

Carmem enviou um vídeo ao Viva Rio nesta quinta-feira (30), tranquilizando os colegas e dizendo que está passando bem. Segundo a amiga que a acompanhava, as duas tinham uma rota de proteção para se deslocar, mas foram surpreendidas por uma intensa troca de tiros.

Outra funcionária que tem sofrido as consequências da instabilidade na comunidade é a moradora Thaís Cavalcante, 22 anos, do setor de Comunicação do Viva Rio. “Ontem cheguei à Maré às 20h e outros moradores aguardavam na Avenida Brasil para entrar na comunidade. Entrei com um pequeno grupo e encontrei tudo fechado, ruas movimentadas completamente vazias. Sinto muita raiva, parece que não tem solução”, lamentou, ainda abalada.

(Texto: Celina Côrtes|Foto: Paulo Barros, Tamiris Barcellos e Vitor Madeira)

Postado em Notícias na tag .