Pérolas Negras lançam campanha por campo oficial

Construir o campo de futebol oficial dos Pérolas Negras,  jovens craques haitianos instalados em Paty de Alferes (RJ) desde janeiro de 2016, é o objetivo da campanha de financiamento coletivo lançada pelo Viva Rio nesta terça-feira (12).

Clique aqui e participe! 

 

Em campo

O campo provisório em Paty, onde os Pérolas Negras têm treinado|Foto: Tamiris Barcellos

“A vinda dos haitianos para cá foi um salto mortal, sem rede”, comparou Rubem César Fernandes, diretor executivo do Viva Rio. “Dependemos de apoio para trazer o sonho ao chão e criar uma rede de proteção para o salto, ou seja, para cairmos na real”, completou.

Vitor Madeira_Viva Rio (50)

Rubem César: Dependemos do campo para trazer o sonho ao chão| Foto: Vitor Madeira

O importante é que os jovens jogadores estão cheios de esperança no crowdfunding. “Eles já começaram a fazer uma contagem regressiva e, enquanto isso, estão investindo pesado nos treinamentos no campo provisório”, revela o técnico da equipe, Rafael Novaes.

Rafael

Segundo técnico Rafael Novaes, eles já investem pesado nos treinos| Foto: Tamiris Barcellos

O ousado passo foi dado depois do grande sucesso na Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha, realizada em janeiro. Da capital paulista eles seguiram direto para Paty do Alferes, onde passaram a viver e a treinar em uma fazenda de 70 hectares, já batizada de Colônia Pérolas Negras.

“Eles chegaram cheios de esperança de que vai dar certo, mas foi tudo muito rápido, sem base, em função da repercussão maior que a esperada do desempenho da equipe na Copinha. Veio daí a percepção para dar o passo seguinte que permitisse que eles continuassem no Brasil, fazer daqui a terra do futuro para o mundo”, aposta Rubem César.

O primeiro capítulo dessa história depende da construção do campo oficial, para que os Pérolas Negras possam treinar e receber outros times para jogar. “Não se trata de um projeto banal. Um campo de futebol oficial requer boa drenagem e grama de qualidade, é complexo e caro”, constata o diretor do Viva Rio.

Com R$ 20, o doador ganha um vídeo de agradecimento; com R$ 50, duas garrafas de squeeze Pérolas Negras; com R$ 500, um livro com a história dos Pérolas Negras, camisa oficial autografada e nome na placa de acrílico do CT; com R$ 1.500, uma tarde com os atletas em Paty, camisa autografada e nome na placa de acrílico e com R$ 5 mil, hospedagem de fim de semana no hotel de Paty, camisa autografada e nome na placa. O pagamento pode ser feito por cartão ou boleto.

Criação da Academia

Criada pelo Viva Rio em 2010, no Haiti, a Academia Pérolas Negras tem o objetivo de promover o talento e resgatar a auto-estima de jovens haitianos. Lá, mais de 120 meninos e meninas, entre 11 e 18 anos, vivem, estudam e treinam pesado. O projeto chegou ao Brasil em 2016, unindo o esporte de alto rendimento com educação.

Os meninos deixaram suas famílias no Haiti e vieram ao país do futebol. Essa mistura de paixão e esporte é para eles uma oportunidade de crescimento pessoal e de uma carreira profissional. Com aptidão e carisma, eles conquistaram torcidas e a imprensa brasileiras não só na Copinha de 2016, como na Copa da Amizade, em 2015, no Rio de Janeiro.

(Texto: Celina Côrtes|Fotos: Tamiris Barcellos e Vitor Madeira)

Postado em Notícias na tag .