Nova campanha do Viva Rio e Biomob beneficia pessoas com deficiência

Fátima, Selma e Lucinéa, do Naninhas da Praça

Lucinéa Gomes, Fátima Pessoa e Selma Achilles acordaram cedo e enfrentaram o metrô lotado para contribuir com a campanha Toma Lá, Dá Cá, lançada nesta sexta-feira (13) pelo Viva Rio Eficiente, Voluntariado Viva Rio e Biomob. A iniciativa busca arrecadar lacres de alumínio para trocar por insumos que serão doados para pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade.

Juntas, as três amigas doaram mais de 15 mil lacres recolhidos em duas semanas. Elas fazem parte do grupo Naninhas da Praça, de Irajá, que reúne pessoas com um interesse em comum: voluntariado.

Por iniciativa própria, escolhem uma ação e se engajam. “O que a gente faz é uma gota no mar, mas o mar não seria o mesmo se não tivesse essa gota”, comentou Lucinéa citando Madre Tereza de Calcutá.

O evento de lançamento integra a programação do Viva Rio para o Dia das Boas Ações, data criada para estimular o trabalho voluntário em todo o mundo e que será comemorada no dia 15 de abril, na Quinta da Boa Vista (RJ).

Laís Araújo, supervisora do Viva Rio Eficiente, destacou que a campanha não substitui os meios oficiais de acompanhamento de pessoas com deficiência. “Aqueles que precisarem de atendimento e apoio podem recorrer às Clínicas da Família e aos Centros Municipais de Saúde”. Daiana Albino, responsável pelo programa Cuidando de quem cuida, relembrou ainda que “essa atenção é garantida pelo SUS”.

Valmir explica o funcionamento do aplicativo

O diretor da Biomob Soluções Digitais, Valmir Souza, apresentou o panorama da acessibilidade nas últimas décadas. “As pessoas com deficiência só começaram a ser levadas em consideração após 1948 com a Convenção dos Direitos Humanos da ONU. Esse reconhecimento tardio trouxe inúmeros obstáculos para a inclusão desses cidadãos. Em nosso país, por exemplo, menos de 40% das 45 milhões de pessoas com deficiência possuem ensino superior”, pontuou.

Ele ministrou o treinamento da norma técnica de acessibilidade em equipamentos urbanos – a NBR 9050/ABNT -, e apresentou o aplicativo Biomob. “O nosso app é um projeto de inclusão. Ajudamos a identificar espaços públicos acessíveis para pessoas com deficiência, que são historicamente relegadas ao ambiente doméstico e à exclusão”, ressaltou Valmir.

Grupo avalia a acessibilidade de espaços no Catete

Ao final do evento, os participantes foram convidados para um “mutirão de acessibilização” no entorno do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira, no Catete. Os grupos visitaram farmácias, prestadores de serviços, restaurantes, supermercados e hotéis em busca de locais que obedecessem às normas previstas na Lei Brasileira de Inclusão.

A campanha Toma Lá, Dá Cá é contínua. As pessoas e instituições interessadas em participar devem entrar em contato pelo e-mail vivarioeficiente@vivario.org.br ou pelo telefone 2555-3750/Ramal 3258 para agendar a coleta dos lacres.

Postado em Notícias na tag , , , .