Mutirões aceleram legalização de haitianos

O Viva Rio vai realizar vários mutirões para atender haitianos radicados no Estado do Rio de Janeiro que desejam tirar o visto permanente. Os próximos acontecerão nesta quinta-feira (03), em Teresópolis, no galpão do Grupo Campanha (marca JFC), no quilômetro 28,5 da Estrada Teresópolis-Nova Friburgo, no bairro de Venda Nova; e no sábado (05), em Maricá, na Igreja Cristã Maratana, próxima ao portal da cidade.

A autorização para o obtenção de visto permanente foi permitida pela Resolução Normativa do Conselho Nacional de Imigração (Cnig) de 11 de novembro de 2015, que vai beneficiar 43.781 haitianos que estão morando no Brasil.

O Grupo Campanha produz e comercializa produtos hortifrutigranjeiros in natura e emprega cerca de 60 haitianos, entre os quase 500 funcionários do galpão de Teresópolis. Como está situado em zona rural, enfrentava muita dificuldade para contratar mão de obra. O departamento de Recursos Humanos procurou a Missão da Paz, que abriga refugiados em São Paulo, na maioria de haitianos.

“Deu certo. Voltamos lá duas vezes, eles já trouxeram seus familiares e estão refazendo sua história por aqui”, diz a gerente do setor, Sandra Souza. “Os haitianos trabalham pesado, são disciplinados, produtivos e têm um maior comprometimento porque o trabalho envolve gratidão pela oportunidade que receberam”, acrescenta ela. O passo seguinte foi procurar o Viva Rio para regularizar a situação dos empregados.

Já o aumento da frequência de haitianos à igreja em Maricá foi quase que uma coincidência. O pastor Rogério dos Santos Silva já havia feito um trabalho missionário com africanos e achou que fosse essa a origem do pequeno grupo que encontrou no ponto de ônibus. Assim, seu contato com haitianos se multiplicou rapidamente. Ao acompanhar o problema da falta de cidadania comum a todos, resolveu procurar a embaixada do Haiti, em Brasília. “Foi lá que me indicaram o Viva Rio, que dará o suporte necessário ao mutirão deste sábado”, explicou o pastor.

Primeiro mutirão

Mais de 100 haitianos participaram do primeiro mutirão realizado pela instituição, no domingo (22.11). O objetivo é esclarecer a essa população quais são os documentos que eles deverão entregar na Polícia Federal para conseguirem legalizar a vida no país. Com isso, eles estarão aptos a trabalhar, estudar e viver no país como se fossem cidadãos brasileiros.

2015_11_22_Ação_Haiti_Aqui_009

Haitianos participaram de mutirão realizado na sede do Viva Rio|Foto: Paulo Barros)

Todas as terças-feiras, até o dia 15 de dezembro, o Viva Rio continuará a promover estes mutirões em sua sede, na Glória, zona Sul do Rio, das 9h às 18h. O serviço será retomado a partir de 5 de janeiro.

O apresentador do programa Voz do Haiti, na Rádio Viva Rio, Robert Montinard, foi um dos participantes do mutirão de domingo. “Passei quatro anos sem poder trabalhar de forma legal no Brasil porque tinha apenas o visto de turismo. Essa foi uma grande conquista para nós”, comemorou.

IMG_9667

Robert Montinard teve seu visto regularizado com ajuda do Viva Rio|Foto: Vitor Madeira

Além dos mutirões, destinados aos que não têm acesso à Internet, o portal Haiti Aqui oferece todo o suporte aos haitianos, desde encaminhá-los aos órgãos e instituições responsáveis até apontar soluções que facilitem o processo de obtenção do visto permanente.

“Minha família foi o primeiro grupo a conhecer o Viva Rio, e com essa parceria nasceu o “Haiti Aqui”, um site de referência para os haitianos. A Rádio Viva Rio apresenta uma vasta programação para valorizar a cultura do Haiti, de música a gastronomia”, completou Montinard.

(Texto: Celina Côrtes|Foto: Paulo Barros e Vitor Madeira)

 

Postado em Notícias na tag .